Menu
Chumbinho

C7H14N2O2S

Essa molécula de nome: 2-methyl-2-(methylthio) propionaldehyde O-methylcarbamoyloxime, é conhecida com o nome Aldicarb ou "chumbinho". È um agrotóxico encontrado facilmente no mercado. Pertence à função carbamato, ou seja, grupo de compostos orgânicos que compartilham de um mesmo grupo funcional cuja estrutura é -NH(CO)O. Os carbamatos são ésteres do ácido carbâmico, NH2COOH, um composto instável.


Chumbinho

O nome popular "chumbinho" se deve a sua forma de apresentação, em pequenos grãos de cor cinza-chumbo. Comercializado com o nome de Temik 150, é produzido pela poderosa multinacional alemã Bayer. Sua venda é autorizada em estabelecimentos credenciados, mediante a apresentação da receita emitida por um profissional agrônomo e apenas em sacos de 20 kg. Na lavoura é usado principalmente em plantações de algodão, batata, café, cana-de-açúcar, cítricos e feijão, onde esta substância também contamina o solo e o lençol freático. Para mais informações:

Chumbinho

O "chumbinho" é um agrotóxico proibido em diversos países, mas seu uso é permitido no Brasil, onde é também o responsável pelo maior número de mortes por intoxicação entre humanos. Um único grama do veneno pode matar uma pessoa de até 60 quilos. Se inalado, o produto percorre a corrente sangüínea e também pode levar rapidamente à morte. O veneno não tem cheiro nem gosto, mas lesa o sistema nervoso central, causando transtorno neurológico, parada cardíaca e paralisia dos pulmões. Quem o ingere fica inerte, baba, tem convulsões e pode morrer por asfixia. Em cães e gatos o efeito é bem semelhante, atingindo principalmente pulmões, fígado e rins. O sofrimento é atroz. As intoxicações e mortes ocorrem há décadas e o IDEC - Instituto de Defesa do Consumidor, de São Paulo, desde 2003 vem pedindo providências à ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Porém, a venda e o uso indiscriminados continuam fazendo inúmeras vítimas.

Fonte:

http://en.wikipedia.org/wiki/Aldicarb

http://pt.wikipedia.org/wiki/Chumbinho_(rodenticida)

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-25092006-125433/

http://www.anvisa.gov.br/toxicologia/monografias/a07.pdf