Menu
Tetranitratoxicarbono - C(CO3N)4

Essa nova molécula é hipoteticamente possível, mas ainda não sintetizada. Era desconhecida para a ciência até que Clara Lazen, uma menina de 10 anos que frequentava o quinto ano em Kansas City, Missouri, montou um modelo desta em 2012.

Um dia comum na aula de química. Sobre as mesas, os alunos utilizam pequenas esferas de tamanhos e cores variadas para montar estruturas químicas de moléculas. A pequena Clara Lazen, constrói uma estrutura pouco usual e pergunta que molécula seria aquela. O professor – talvez um pouco desconcertado, mas muito entusiasmado – admite não saber, sem desconfiar que se tratava de uma molécula completamente nova. O professor,procurou a ajuda do amigo, o químico Robert Zoellner, da Universidade Humboldt, na Califórnia, para identificar a molécula misteriosa. A curiosa descoberta do tetranitratoxicarbono rendeu um artigo publicado em janeiro de 2012 na revista Computational and Theoretical Chemistry – assinado pelos três personagens. Mais importante: é um exemplo extremo de como atividades lúdicas e divertidas podem despertar o interesse pela ciência.

A prednisona é um medicamento seguro, porém, não está isenta de efeitos colaterais importantes, como o ganho de peso, elevação da glicose no sangue e colesterol. O que exige do paciente em uso da prednisona a adesão a uma dieta magra, consumo de sal reduzido e a prática de atividade física. 



Figura 1. Amenina que inventava moléculas: Clara Lazen (foto: Kenneth Boehr).

Apesar de possível matematicamente, a nova molécula, que tem a mesma combinação de átomos da nitroglicerina, provavelmente seria instável e difícil de sintetizar. “Mesmo que seja possível produzi-la, é provável que ela se converta em seu isômero mais estável”, acredita Zoellner.
Essa molécula poderia ter utilidade na estocagem de energia, como um poderoso explosivo ou como algo entre esses dois extremos. Seja qual for o futuro da nova molécula, o mais importante é que ela pode ter ajudado a formar outros futuros. A experiência da colega, agora famosa, reforçou nos outros alunos o interesse e o entusiasmo pela ciência, especialmente a química e a biologia.

Fonte: A menina que inventava moléculas. Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br/alo- professor/intervalo/2012/02/a-menina-que-inventava-moleculas-1 acessado em 29/07/2015. Zoellner, Robert W.; Clara L. Lazen, Kenneth M. Boehr. (2012-01-01).
"A computational study of novel nitratoxycarbon, nitritocarbonyl, and nitrate compounds and their potential as high energy materials". Computational and Theoretical Chemistry 979: 33–37. DOI:10.1016/j.comptc.2011.10.011. ISSN 2210- 271X.