Menu

Picolinato de Cromo III - Cr(C6H4NO2)3


 

Essa molécula é uma forma orgânica de biodisponibilidade de Cromo. O Cromo ativa várias enzimas envolvidas no metabolismo da glicose e síntese de proteínas, principalmente a insulina. Vários estudos documentam a utilização do Cromo em diversos distúrbios endógenos, incluindo distúrbios do colesterol, glicose, diabetes, obesidade e envelhecimento, assim sendo, o cromo é um metal essencial ao organismo.

Mecanismo de Ação: age potencializando a ação da insulina e ele pode aumentar a fluidez da membrana celular, facilitar a ligação da insulina com seu receptor e a internalização da mesma. O seu papel no metabolismo lipídico parece estar relacionado com o aumento das lipoproteínas de alta densidade (HDL) e redução do colesterol total e das lipoproteínas de baixa densidade (LDL, VLDL) em indivíduos com valores inicialmente elevados.

Os principais alimentos ricos em cromo são: carnes, frango e frutos do mar; ovos; leite e derivados; grãos integrais como aveia, linhaça e chia; alimentos integrais, como arroz e pão; frutas, como uva, maçã e laranja; vegetais, como espinafre, brócolis, alho e tomate; leguminosas, como feijão, soja e milho. O organismo precisa apenas de pequenas quantidades de cromo diariamente, e sua absorção no intestino é melhor quando o cromo é ingerido com alimentos ricos em vitamina C, como laranja e abacaxi.



Figura 1. Fontes de cromo.

A suplementação segura é de 1,6 mg de picolinato de cromo por dia ou 200 microgramas por mês. Não deve ser consumido indefinidamente. O uso deve ficar entre 3 e, no máximo, 6 meses.

Efeitos colaterais que podem ser causados pelo uso indiscriminado do picolinato de cromo: dor de cabeça; náuseas; bolhas na pele; hematomas sem explicação; perda de apetite e apatia física; problemas para dormir. Outro problema, já bastante comum, pelo uso do picolinato de cromo é o mal funcionamento dos rins e o desenvolvimento de doenças como insuficiência renal. Também podem ocorrer danos no sistema hepático e também uma anemia profunda.

 

 

Fontes:

Imagem Molécula
https://pt.wikipedia.org/wiki/Picolinato_de_cromo(III) acessado em 05/08/2017
Figura 1-Fontes de Cromo
http://www.diabetesevoce.com.br/blog/diabetes-picolinato-de-cromo-e-a-vontade-de-comer-doce/ acessado em 05/08/2017
Informativo Técnico – Picolinato de Cromo
https://www.farmaciabiotipo.com.br/img/produtos/arquivos/Picolinato%20de%20Cromo(2).pdf acessado em 05/08/2017
Alimentos ricos em Cromo
https://www.tuasaude.com/cromo/ acessado em 05/08/2017
Efeitos Colaterais
http://www.treinomestre.com.br/picolinato-de-cromo/ acessado em 05/08/2017