Menu
Dissulfeto de Ferro


FeS2


Dissulfeto de Ferro

Essa é a substância do mineral Pirita (fig.1). É um dissulfeto de ferro, FeS2. O nome pirita provém do grego pyr, que significa fogo, provavelmente devido às faíscas que resultam quando é golpeada com um martelo. Esta capacidade a fez popular para o uso em armas de fogo tais como o wheellock.


Dissulfeto de Ferro

Fig.1. Mineral Pirita (dissulfeto de ferro).

Sob o ponto de vista da química inorgânica clássica, a pirita é descrita como Fe2+(S2)2-. Esta formulação leva em consideração o fato de que os átomos de enxofre na pirita estão ligados entre si por meio de ligações S-S (dissulfeto) bem definidas. Estas unidades de dissulfeto podem ser vistas como derivadas daquelas do dissulfeto de hidrogênio, H2S2 (o ânion dissulfeto é S22-, ou -S–S-. Ao enxofre é usualmente atribuído o número de oxidação reduzido -2, descrito como S2- e chamado sulfeto. No dissulfeto, enxofre é somente reduzido a um estado com número de oxidação -1. Sua configuração então se assemelha ao de um átomo de cloro. Portanto, tende a formar uma ligação covalente com um outro centro S- para formar um grupo S22-).

A pirita apresenta estrutura cristalina cúbica, mas também frequentemente como octaedros ou dodecaedros com faces pentagonais. Tem uma fratura ligeiramente desigual e conchoidal, dureza de 6-6.5 na escala de Mohs e densidade de 4,95 a 5,10. Apresenta traço negro-esverdeada e, devido ao seu brilho metálico e à cor amarelo-dourada, recebeu também o apelido de ouro-dos-tolos; ironicamente, contudo, pequenas quantidades de ouro podem às vezes ser encontradas disseminadas nas piritas. De fato, dependendo da quantidade de ouro, a pirita aurífera pode mesmo ser uma fonte valiosa deste metal precioso. Em piritas podem ocorrer também arsênio, níquel, cobalto e cobre.

Sendo encontrado em qualquer parte do mundo, a pirita é o sulfeto mineral mais comum. Encontra-se geralmente associado com outros sulfetos ou óxidos em veios de quartzo, rocha sedimentar ou rocha metamórfica, em leitos de carvão e também como mineral de substituição nos fósseis.

Quando exposta ao meio ambiente durante o processo de mineração e escavação pode reagir com oxigênio e água produzindo ácido sulfúrico e lixiviando o solo. Isto é resultado da ação da bactéria Thiobacillus, que obtém energia metabolizando a pirita. Sua oxidação é exotérmica, podendo levar à combustão espontânea dos depósitos de rejeitos nas minas de carvão. Isso polui o ar e leva à formação de chuva ácida.

Era usual na indústria de papel produzir de dióxido de enxofre (SO2) e ácido sulfúrico (H2SO4) a partir desse mineral.

Fonte:

Fonte 1 - Fórmula estrutural
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dissulfeto
acessado em 27/06/2012

Fonte 2 - Imagem Pirita
http://espacodobem-estar.blogspot.com.br/2011/07/o-poder-das-pedras-pirita-e-citrino.html
acessado em 27/06/2012

Fonte 3 - Texto -
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pirita
acessado em 27/06/2012