Menu
Acroleína

C3H4O

Molécula que pertence à função orgânica aldeído, também é chamada acraldeído, acrilaldeído, aldeído acrílico, aldeído alílico, propenal, 2-propenal,. É um composto liquido e, possui odor e sabor amargo.


Acroleína

É aquele cheiro caracteístico das pastelarias, pois as gorduras quando submetidas a temperaturas muito altas desidratam, e perdem qualidade e se transformam na acroleína. Mesmo as gorduras que fazem bem à saúde como o azeite de oliva e os óleos de peixe que são ricos em ômegas 3, 6 e 9, podem se decompor. A acroleína também pode ser produzida no motor quando este utiliza como combustível o óleo vegetal cru (biodisel).

O calor extremo estraga a estrutura química da molécula de gordura produzindo essa substância potencialmente cancerígena. Os alimentos devem ser submetidos a temperaturas mais baixas possível por um maior período de tempo, assim se garante que a gordura que contém na preparação (azeite ou gordura de constituição do alimento) não se deteriorou e assim mantêm seus benefícios.

A acroleína foi um gás usado na I Grande Guerra como arma química sob o nome de código Papite. A sua função principal era atuar como gás lacrimogéneo e como irritante dos pulmões, ainda que em grandes concentrações pudesse tornar-se tóxico. Era disparado em projéteis de artilharia e granadas de mão, mas a sua falta de estabilidade química fazia com que fosse difícil armazená-lo, pelo que foi pouco usado em combate.

Fonte:

http://www.tuasaude.com/cuidado-com-a-acroleina-nas-gorduras/

http://www.ff.up.pt/toxicologia/monografias/ano0506/acroleina/oquee.htm