Menu
Ácido Oxálico

C2H2O4


O ácido oxálico é um ácido dicarboxílico descoberto em 1760 pelo químico experimental sueco Carl Wilhelme Scheele (1742-1786). Seu nome químico é ácido etanodióico. É um ácido orgânico saturado, de cadeia normal e relativamente forte, sendo 10.000 vezes mais forte que o ácido acético. Comercialmente, a forma mais usual é a diidratada, de fórmula molecular C2H2O4·2H2O. 

Ácido Oxálico

O nome ácido oxálico origina do latim oxalis, pois a primeira vez que foi isolado foi a partir do trevo azedo (Oxalis acetosella e Oxalis latifolia). 


Figura 1. Oxalis acetosella e Oxalis latifólia.


Esse composto está presente em diversos alimentos, principalmente nas folhas dos vegetais, tais como a acelga suíça, o espinafre e o ruibarbo. Também é encontrado nas folhas da beterraba, no amendoim, no cacau e, consequentemente, no chocolate. Pode ser encontrado também no espinafre, no tomate, no inhame, na carambola e outros vegetais. Em relação à carambola, o ácido oxálico ocorre em grande quantidade e é o grande responsável pelo efeito tóxico desta fruta em pacientes com disfunções renais. 

Usos do ácido oxálico: 

- Eliminação de ferrugem em metais, mármores e outras pedras. 
- Fixação de corantes em tecidos (mordente ) 
- Obtenção de corantes
- Fabricação de tintas de escrever
- Branqueamento e curtição industrial de couros. 
- Branqueamento de têxteis, papéis, cortiça e palha. 
- Produção de oxalatos. 

Fonte:

1.Imagem Molécula
http://www.mundoeducacao.com/quimica/presenca-acido-oxalico-nos-alimentos.htm

KINUPP, Valdely Ferreira. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no Brasil. São Paulo: Instituto Plantarun de Estudos da flora, 2014. Pág. 574.

 

\